Street Fighter 6 | Review

Street Fighter sempre foi a minha franquia de jogos favorita. Lembro de passar horas jogando com os amigos em lan houses, no videogame e, nos últimos anos, online. Entretanto, confesso que acabei deixando-a de lado com os altos e baixos que Street Fighter V teve, e por consequência meu ânimo para jogar também diminuiu. Eis que Street Fighter 6 foi anunciado, o mais novo jogo de uma das maiores franquias de jogos de luta que promete revolucionar o gênero, atrair novos jogadores, mas sem tirar aquilo que os fãs mais antigos da série amam.

Convenhamos que toda essa promessa é no mínimo suspeita, ainda mais levando em conta o excelente momento que o gênero está hoje, com excelentes títulos como Guilty Gear -Strive-, The King of Fighters XV, Skullgirls, Mortal Kombat 11, isso sem contar os outros novos jogos no horizonte como Mortal Kombat 1, Tekken 8 e um novo Garou. Então a Capcom, está num excelente momento também trazendo excelentes jogos, tinha em mãos talvez o maior desafio possível: reacender a chama que a franquia possuí.

Mas será que Street Fighter 6 conseguiu achar o seu lugar nos dias de hoje, trazendo novos fãs para o gênero no meio dessa nova “era de ouro” dos jogos de luta ? A convite da Capcom eu estive internado em Metro City para responder essa pergunta, e venho aqui com mais uma análise te contar o que aprendi trocando soco com amigos e pessoas nas ruas da cidade virtual.

O que é Street Fighter 6?

Eu acho que a franquia Street Fighter dispensa apresentações, mas vamos lá! Street Fighter 6 é o mais novo jogo de luta, da série desenvolvida e publicada pela própria Capcom, e chega para PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox Series X|S, e PC, via Steam. E, como eu disse anteriormente, o jogo está sendo lançado em uma época complicada para o gênero de jogos de luta, visto que não é o gênero mais popular da indústria nos dias de hoje e, os games que fazem sucesso atualmente, talvez representem o ápice do estilo.

Street Fighter 6 então, para atrair novos jogadores, traz vários conteúdos diferentes para todo e qualquer tipo de público, diminuindo e em alguns casos eliminando as barreiras de entrada que as pessoas tem com os jogos de luta. O game está sendo lançado com três modos, sendo eles:

  • World Tour – É o modo singleplayer, onde você pode criar seu próprio personagem do zero e customizar seus golpes conforme preferir.
  • Battle Hub – Funciona como um ambiente virtual online onde você pode lutar contra outros jogadores, interagir e brincar usando seus avatares próprios.
  • Fighting Ground – Esse é o modo clássico da franquia, onde a porradaria funciona de verdade. Aqui você tem o modo treino, lutas online e offline, desafios de combos e o tutorial de Street Fighter 6.

World Tour

O modo World Tour é o modo singleplayer de Street Fighter 6, onde você pode criar o seu próprio personagem e explorar a cidade de Metro City, como um mundo aberto. Esse modo funciona como um RPG extremamente simplificado, onde você vai acumulando XP lutando com as pessoas nas ruas como se fosse um beat’n up, para evoluir seu personagem e ficar mais forte. Você também deve explorar os mapas para encontrar os mestres, que são basicamente os personagens jogáveis para aprender os seus golpes e evoluir seus laços de amizade. Afinal quem nunca quis dar um presente para a Chun-li ou para o Ryu ?

Nesse modo você também poderá realizar diversos minigames, para acumular dinheiro para comprar equipamentos que afetam diretamente atributos do seu personagem, itens consumíveis que lhe darão alguns bônus e principalmente roupas para deixar o seu personagem o mais bonito (ou não) possível.

Street Fighter 6
Metro City em Street Fighter 6 está mais viva do que nunca (Imagem: Divulgação)

O modo World Tour de Street Fighter 6 traz uma narrativa simples, mas que, pra ser sincero, cumpre o seu propósito, que é continuar a história da franquia que até então tinha parado nos acontecimentos de Street Fighter 3rd Strike. E por mais que a narrativa seja simples, é interessante ver esse amadurecimento de personagens queridos como o Ryu e a Chun-li, como o Ken, que perdeu toda a sua fortuna, e como o Blanka começou a se integrar na sociedade, e por aí vai. Isso sem levar em conta a apresentação dos novos personagens da franquia.

Personagens esses que vou falar mais pra frente, mas já adianto que todos eles trazem o espírito da franquia e, para mim, é o melhor elenco de novos personagens que a franquia já viu. Mas, voltando a falar do World tour, esse modo é bastante divertido e serve perfeitamente como um respiro da pancadaria padrão do jogo, e explorar Metro City nessa profundidade, procurar por segredos, interagir com os personagens e bater em bandidos nas ruas sendo um verdadeiro “Lutador das Ruas”, cria um modo divertido para os jogadores mais casuais e também para aqueles mais dedicados em criar o personagem perfeito, com os golpes mais fortes para enfrentar os amigos no online.

Em resumo o World Tour de Street Fighter 6 é gigante, e com certeza, tem conteúdo para você. Apesar da narrativa e da história não serem grandiosas, elas funcionam bem em apresentar o paradeiro dos personagens clássicos e os novos personagens, além de continuar a linha cronológica da franquia.

Street Fighter 6
É interessante participar e ver como os personagens clássicos da franquia são em seu dia-a-dia. (Imagem: Divulgação)

Battle Hub

O Battle Hub, à grosso modo, é o modo online de Street Fighter 6. É um espaço virtual onde os jogadores podem interagir com seus próprios personagens, lutar com eles, ou lutar no modo normal e competitivo do jogo nas dezenas de máquinas de fliperamas espalhadas pelo local. Os jogadores também podem comprar roupas, organizar campeonatos, jogar modos alternativos casuais, e por último e não menos importante, há algumas máquinas que permitem que as pessoas joguem alguns jogos antigos da Capcom como Final Fight ou Street Fighter 2.

O Battle Hub funciona de forma semelhante aos hubs criados nos jogos da Arc System Works, como DRAGON BALL FighterZ ou Guilty Gear -Strive-, onde os jogadores podem brincar e interagir entre si e, caso queiram acertar as contas na porradaria, basta sentarem na mesma máquina para começar a partida.

De tempos em tempos ocorrem alguns eventos no Battle Hub, como campeonatos de avatares, campeonatos normais, eventos de XP em Dobro, e etc. Logo podemos afirmar que a Capcom pretende e está movimentando o Hub com diversas atividades diferentes para você se divertir.

Street Fighter 6
O Battle Hub é uma das melhores adições do jogo, pois a interação entre os jogadores cria situações únicas e memoráveis. (Imagem: Divulgação)

Fighting Ground

O Fighting Ground é o cantinho perfeito para os fãs mais antigos da franquia, pois é aqui que Street Fighter 6 brilha de verdade. O Fighting Ground traz os modos mais tradicionais, como o Arcade, o modo treino, o modo 1v1 Offline, os Testes de Personagens, o Tutorial e os Guias, e o Matchmaking para partidas online seja Casuais ou Ranqueadas.

O Fighting Ground também é gigante e complexo e, pra ser honesto, tomaria muito tempo falar de todos os pontos dele numa review, por isso, vou focar em nos mais importantes e deixar de lado as coisas mais básicas e já conhecidas, como o modo Arcade e os modos Offline, Casual e Ranqueado. Assim, queria dar destaque para o tutorial, o modo treino, o roster de personagens e os sistemas de jogo em geral.

Começando pelos tutoriais de Street Fighter 6. Queria abordar esse tópico pois, no início dessa análise, comentei que muitas barreiras de entrada da franquia foram quebradas, e esses tutoriais são a principal causa disso. No jogo, há dezenas de tutoriais que cobrem todos os aspectos não só de Street Fighter, mas de jogos de luta em geral, termos como Frame Data, estar positivo e negativo, Footsies, Poke, Zoning não irão mais ser um problema se você prestar atenção nos tutoriais desse jogo.

Vale destacar que esses tutoriais trazem tanto conceitos básicos quanto avançados dos jogos de luta, então, mesmo se você for um veterano do gênero, vale a pena dar uma olhada, pois eu tenho certeza que você irá aproveitar algo dali. Outro ponto importante de ressaltar é que além de tutoriais gerais do jogo, Street Fighter 6 também traz tutoriais específicos de todos os personagens jogáveis, tutoriais esses que servem para lhe explicar os pontos fortes e fracos de cada um dos protagonistas, como você deve se comportar com e contra o personagem, tudo isso também cobrindo coisas mais simples quanto conceitos mais avançados.

Street Fighter 6
Tela de tutoriais (Imagem: Reprodução)

O modo treino de Street Fighter 6 também segue essa filosofia de te ensinar aspectos de gameplay através da HUD do treino, seja com a barra de frames, o painel de inputs apertados, Hitbox dos personagens e golpes e por aí vai. O modo treino é talvez o mais completo que eu já vi em um jogo de luta, já que você pode fazer literalmente tudo e treinar todas as possibilidades que você imaginar. Isso é possível visto que é possível gravar e programar alguns presets de treino da sua preferência. Quer treinar um combo específico? Basta programar o boneco e os parâmetros que você quiser e carregar toda vez que você quiser treinar.

Esse é somente um exemplo das centenas de possibilidades que o modo treino de Street Fighter 6 traz, mas eu queria dar destaque para uma nova feature que eu particularmente nunca tinha visto em nenhum jogo de luta antes, que é a possibilidade de você poder treinar online com outras pessoas.

Então, se você só quiser ensinar seu amigo a jogar ou quiser treinar algo específico com seu parceiro de treino, isso é possível sem nenhuma grande burocracia. Isso obviamente sem perder nenhuma feature do treino como os indicadores de frames, de hitbox e de inputs por exemplo. Por si só já é uma grande coisa para quem quer ensinar alguém a jogar ou que quer aprender com seu amigo, ou ter algum coach, as possibilidades são infinitas… Basta usar a criatividade em Street Fighter 6!

Street Fighter 6
Vale destacar a qualidade dessa nova direção de arte da franquia (Imagem: Divulgação)

A porradaria

É impossível falar de um jogo de luta sem falar dos sistemas de combate dele, e como Street Fighter 6 tem a filosofia de ser acessível e fácil de entender, é óbvio que os sistemas do game não vão ser diferentes. A filosofia desses sistemas segue o famoso “fácil de aprender e difícil de dominar”, isso fica claro com o novo sistema de Drive. O Drive nesse jogo funciona como uma barra de stamina que reseta a cada round e regenera aos poucos. Essa barra serve para utilizar golpes amplificados, usar o parry e evitar tomar dano enquanto defende.

Caso você esgote essa barra, o personagem entra em “Burnout” aumentando o dano recebido e impedindo você de usar a barra até que ela se encha completamente novamente. Então, saber gerenciar essa barra é crucial para a vitória, isso tudo gera um sistema de novo acessível para novos jogadores e profundo para os veteranos. E falando em parry, nesse jogo o sistema é outro ponto que agrega à filosofia, pois para dar parry em todos os golpes, é só você segurar um botão. Mas, caso acerte ele no tempo exato, ganhará mais vantagem ainda em cima do oponente.

Posso falar de diversos outros sistemas que orbitam a luta, mas eu acho que já deu pra ter uma ideia do norte que a Capcom procurou para criar o jogo.

Street Fighter 6
Os Especiais desse jogo estão um espetáculo. (Imagem: Divulgação)

O elenco de personagens

Como citei anteriormente, Street Fighter 6 prometeu trazer novos ares para a franquia e, com isso, foram necessários novos rostos para ela. E com o lançamento do jogo, temos um total de 11 personagens antigos da franquia como Ryu, Ken e Chun-li, e outros 7 novos personagens para compor o elenco total de Street Fighter 6. Não quero me aprofundar muito aqui nos personagens clássicos, pois eles já são mais que conhecidos, entretanto eu queria só ressaltar que cada um desses antigos personagens possuem novidades em seus golpes o que pode acabar instigando a criatividade dos veteranos da franquia.

Mas falando dos novos personagens de Street Fighter 6, queria reforçar que para mim, esse é o melhor elenco de novatos que a franquia já teve, pois além de trazer personagens extremamente carismáticos, trouxe estilos de luta nunca antes vistos na franquia, como o Judô da Manon. Street Fighter 6 também trouxe personagens importantes para a lore geral, como Jamie, que é fã do Yun e do Yang, e Lily, que é filha do T-Hawk. Entretanto meu maior receio em relação aos novos personagens era em especial com o novo vilão da franquia, o JP.

Street Fighter 6
Tela de Seleção de Personagens (Imagem: Reprodução)

Street Fighter sempre teve vilões icônicos como M. Bison, Akuma, Gill e Seth, e eu obviamente tinha receio se o novo vilão JP ia atingir as expectativas. Graças ao bom Ryu, esse meu receio estava errado, o JP é um excelente vilão e casou muito bem na narrativa da franquia (e se tornou o meu personagem favorito do jogo).

Então, em resumo, todo esse elenco de personagens funciona para todos os públicos seja para os veteranos da franquia que gostam dos clássicos Ryu, Zangief, Dhalsim, Ken e etc. Ou para os lutadores de primeira viagem que querem personagens que dialoguem melhor com a nova geração, como o Luke e suas dancinhas ou a Kimberly e seu estilo Hip-Hop, ou o Jamie que mistura Kung Fu, Breakdance e técnicas de Drunken Master. O importante é você saber que com certeza algum personagem vai te agradar.

Os controles modernos

Outro ponto importantíssimo que vale destacar são os novos controles modernos. Essa é uma nova feature de Street Fighter 6 que veio para ficar na franquia, e em resumo é um remapeamento de botões que serve para simplificar alguns comandos que geralmente assustam os novos jogadores. Por exemplo, quer fazer um Hadouken, mas não sabe aperta baixo e frente de forma consistente ? Simples agora aperta o botão de especial que o Hadouken sai.

Os controles modernos são um novo modo de jogar Street Fighter em geral e é a porta de entrada perfeita para aquelas pessoas que sempre quiseram entrar no gênero de jogos de luta. Uma coisa que vale destacar é que de forma nenhuma os controles modernos são inferiores ou superiores aos controles clássicos, cada um tem suas vantagens e desvantagens. O importante é que essa é mais uma forma de tornar os jogos de luta mais acessíveis e divertidos para as pessoas.

Street Fighter 6
Exemplo do layout dos controles Modernos de Street Fighter 6 (Imagem: Reprodução)

Vale a pena comprar Street Fighter 6?

Street Fighter 6 é um jogo incrível e, ouso dizer, quase perfeito. Óbvio que existem alguns pontos aqui e ali que podem melhorar, principalmente em relação à monetização dele. Entretanto, no saldo geral, Street Fighter 6 é o melhor da franquia já feito, e para mim, caminha para ser o melhor jogo de luta de todos os tempos. Visto que consegue agradar todos os tipos de jogadores com os seus três modos de jogo, seus tutoriais e seu elenco carismático. Tudo isso permitindo que novos jogadores entrem na franquia sem muitas barreiras de aprendizado e que os antigos jogadores tenham sistemas profundos para dominar e competir.

Street Fighter 6 foi lançado no dia 2 de junho para PlayStation 4, PlayStation 5Xbox Series X|S e PC, via Steam. No Metacritic, o game ficou com uma média de 93 pontos na versão avaliada.

*Review elaborada em um PC equipado com uma placa de vídeo RTX com código fornecido pela Capcom.

Street Fighter 6

+ R$ 249,00
10

História

10.0/10

Gameplay

10.0/10

Gráficos

10.0/10

Extras

10.0/10

Performance

10.0/10

Prós

  • Acessibilidade e Facilidade de Aprender
  • Gameplay e Mecânicas
  • Trilha sonora
  • Quantidade de Conteúdo Extra
  • Tradução PT-BR

Contras

  • Preço é bastante alto.
  • A monetização do jogo pode ser um pouco predatória, pois envolve passes de batalha, e passes de temporada, personagens novos e etc.

Matheus Feldmann

22 anos, estudante de Jogos Digitais, preservador de jogos antigos, amante de jogos em geral, desde os mais competitivos quanto os mais focados em narrativa. Viciado em MMORPGS, fã de Dark Souls e entusiasta de jogos de luta.